Yeda Crusius reforça importância da união pela via que o Brasil precisa “sem Lula e sem Bolsonaro”

A presidente do Secretariado Nacional da Mulher/PSDB, Yeda Crusius, participou na tarde desta quarta-feira (8/9) da reunião da Executiva Nacional do partido que debateu os constantes ataques às Instituições e à democracia feitos pelo presidente Jair Bolsonaro, que subiu o tom neste 7 de setembro.

Na ocasião, Yeda Crusius reafirmou que o Brasil precisa de uma alternativa à polarização política que se apresenta, entre as extremas direita e esquerda. O que a candidatura de centro deve oferecer, segundo ela, é a “via democrática”.

“Nem Lula nem Bolsonaro. O amante da senhora inflação, tão desumana quanto a Covid-19”, disse durante a reunião.

A tucana alertou que a crise econômica do país é um fator grave e que levará a derrocada de Bolsonaro nas urnas de 2022. A ex-governadora do Rio Grande do Sul salientou que o Brasil real tem fome, desemprego, inflação e que exige responsabilidade e eficiência do governo para atender às necessidades do povo.

A presidente do PSDB-Mulher Nacional destacou ainda que o secretariado deseja um Brasil do respeito, da conciliação e do diálogo, pilares da democracia. “Ações que contradizem esses esforços podem levar ao retrocesso, à dor e à divisão de um povo que se orgulha de ser aquele que canta por ‘lindos campos’ que ‘têm mais flores’ porque ‘nossos bosques têm mais vida’. Pelo bem comum é preciso unir forças por um Brasil igualitário, sem violência com preservação de direitos para todas e todos”, finalizou.

Oposição ao Governo

Após a reunião, o PSDB anunciou que fará oposição ao governo Bolsonaro e iniciará a discussão sobre a prática de crimes de responsabilidade pelo presidente da República. A decisão foi unânime.

Leia a íntegra da nota oficial:

O PSDB decidiu hoje, por unanimidade, em reunião da Executiva Nacional, que é oposição ao governo de Jair Bolsonaro.

O partido repudia as atitudes antidemocráticas, truculentas e irresponsáveis adotadas pelo presidente da República em manifestações pelo Dia da Independência.

O PSDB se alinha a todas as forças da sociedade brasileira que têm na democracia, na defesa das instituições e no respeito à liberdade o seu maior compromisso.

Com a participação da Executiva e das bancadas na Câmara e Senado iniciamos o processo interno de discussão sobre crimes de responsabilidade cometidos pelo presidente da República. O primeiro passo foi o debate aberto ocorrido hoje e agora será aprofundado pelas bancadas do Congresso Nacional.

Conclamamos todas as forças do centro democrático a formar uma frente de oposição ao governo de Jair Bolsonaro. É da união dessas forças que virá a derrota definitiva do projeto autoritário de poder que o atual ocupante do Palácio do Planalto encarna e a volta do modelo político e econômico petista também responsável pela profunda crise que enfrentamos.

Basta de insensatez. Os brasileiros esperam de seu governante soluções para a pandemia, que beira 600 mil mortos; para o desemprego, que vitima 14 milhões de pessoas; para a inflação, que beira os dois dígitos; para a paralisia econômica; para a desigualdade; para a crise hídrica e para o descalabro fiscal. Um presidente que saiba enfrentar a desestruturação social e econômica ao invés de buscar enfrentar a própria lei.

A democracia brasileira permitiu que milhares fossem às ruas no dia de ontem defender suas ideias. Mas também defendemos os milhões que ficaram em casa e querem um Brasil que possa superar a crise.

2021-09-10T13:32:32-03:00 10 de setembro de 2021|

Deixe um Comentário