Yeda Crusius e João Doria discutem prévias, política e paridade de gênero em debate promovido pelo PSDB-Mulher

Em comemoração aos seus 22 anos de existência, celebrados neste dia 15 de maio, o Secretariado Nacional da Mulher/PSDB promoveu, nesta sexta-feira (14/5), o primeiro debate da série de encontros com os postulantes às prévias que escolherão o candidato do PSDB à Presidência da República. Com o tema “Prévias, democracia e partido: para onde vamos?, conversa com os presidenciáveis”, o debate foi mediado pela presidente do PSDB-Mulher Nacional, Yeda Crusius, e teve como convidado o governador de São Paulo, João Doria.

Transmitida pelo Youtube, a live foi acompanhada por uma média de 160 pessoas ao vivo, que assistiram aos tucanos discutirem sobre prévias, política, o papel de um presidente da República e paridade de gênero, um dos itens chave do Planejamento Estratégico do PSDB-Mulher para 2021 e 2022. A live já tem mais de 400 visualizações.

Yeda Crusius abriu o debate destacando os 22 anos de história do Secretariado Nacional da Mulher, que nasceu em 1998 e desde então, ininterruptamente, trabalha pelos direitos das mulheres e pela inserção feminina nos espaços de poder.

A tucana comunicou ainda que após reunião da Executiva do Secretariado Nacional com as presidentes dos diretórios estaduais, realizada nesta quinta-feira (13/5), o PSDB-Mulher formalizou o seu apoio à realização das prévias ainda este ano, na data pré-estabelecida de 17 de outubro, com voto universal.

“Os quatro movimentos, PSDB-Mulher, Diversidade Tucana, Tucanafro e Juventude, decidiram trabalhar juntos para que as prévias identifiquem universalmente os eleitores do PSDB que vão escolher o seu candidato à Presidência”, informou.

“As prévias vão acontecer, e o PSDB é fundamental para definir os rumos do Brasil não-extremo”, disse. “Elas são um compromisso de democratização partidária. Para nós, mulheres, prévias são isso: um instrumento, uma ferramenta democrática, para democratizar o partido”.

O governador de São Paulo, João Doria, elogiou a postura do PSDB-Mulher em defesa da democracia interna e também defendeu a realização das prévias em 2021 com voto universal.

“É essa militância, com cerca de 1.400.000 filiados, que forma a riqueza, o valor, a densidade de um partido nacional como o PSDB”, justificou.

“Sou integralmente a favor das prévias. Aliás, sou filho das prévias. Disputei duas prévias aqui em São Paulo, as únicas realizadas até hoje pelo PSDB. A bem da verdade, as únicas prévias realizadas por qualquer partido nos últimos anos foram aqui em São Paulo, em 2016 e 2018. E foram sem colégio eleitoral, logicamente. Não existe qualquer hipótese de você imaginar que um filiado, uma filiada do PSDB, não tenha o valor do seu voto”, afirmou.

Para o tucano, é importante que as prévias da sigla sejam realizadas ainda este ano, para que o candidato escolhido pelos eleitores filiados ao PSDB tenha tempo hábil, a partir de 2022, para dialogar e construir uma frente ampla democrática com outros partidos.

“Prévias devem ser, sim, uma ferramenta democrática, igual, valorosa, integradora, que permita a todos aqueles que se apresentarem como pré-candidatos do PSDB à Presidência da República participarem de debates abertos como esse, onde centenas, milhares de filiados do PSDB, possam assistir, participar, acompanhar e demandar, e conhecerem quais são os pré-candidatos do PSDB”, salientou.

Paridade de gênero

Um dos principais pontos do Planejamento Estratégico do PSDB-Mulher e da carta-compromisso que será entregue aos pré-candidatos do partido às prévias e dirigentes é a paridade de gênero. Provocado pela presidente Yeda Crusius, João Doria se mostrou favorável ao estímulo da agenda 50/50 e detalhou como a sua gestão em São Paulo tem trabalhado para incluir mais mulheres nos espaços de poder.

“A meu ver, deve ser mais de 50/50. Qual é o impedimento de ser 55, de ser 60, 70? Nós temos que ter o discernimento de estabelecer oportunidades”, apontou.

“Temos aqui, no nosso governo, o maior número de mulheres ocupando cargos de Secretárias de Estado e dirigentes de estatais e autarquias da história de São Paulo, e da história do PSDB em São Paulo. Foi esse o esforço que fizemos na composição do Secretariado, para ter o maior número possível de mulheres e jovens ocupando posições no Governo do Estado de São Paulo”, ressaltou.

O tucano também observou que é preciso haver incentivo para que mais candidatas mulheres participem do processo democrático. Ele saudou a atuação da presidente do PSDB-Mulher em São Paulo, Edna Martins, e do presidente do PSDB-SP, o Secretário Estadual de Desenvolvimento Regional Marco Vinholi, por sua disposição em lançar o maior número possível de mulheres candidatas às eleições de 2018, o que levou o partido a ter hoje a maior bancada feminina da história na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp).

O papel de um presidente

Durante a live, João Doria fez um panorama do atual cenário político brasileiro e elencou qual deve ser o papel de um presidente da República, especialmente em meio à pior crise sanitária da história recente, causada pela pandemia do coronavírus.

“O Brasil de 2022 precisa discutir uma opção pela vida, pela existência, pela compaixão, pela esperança, pelo valor de existir. É tão grave a situação do país neste momento que a nação, pelo seu mandatário, perdeu a razão na falta de compaixão, na falta de decisão, na não compra de vacinas, na opção pela cloroquina, no desprezo pela vida. Uma tristeza sem tamanho, em um drama do país que já perdeu 428 mil vidas para esta pandemia”, lamentou o tucano.

Ele enfatizou que muitas vidas poderiam ter sido salvas se o governo federal tivesse seguido o exemplo dado por São Paulo, que agora tem duas vacinas em produção pelo Instituto Butantan, a CoronaVac, produzida em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, e a ButanVac, a vacina 100% produzida por cientistas brasileiros, sem insumos importados, que aguarda a aprovação para testes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“O principal compromisso de um futuro presidente da República deve ser com a vida, com a existência, com a proteção das pessoas. Não há economia sem vida. A vida é o princípio básico de tudo”, acrescentou Doria.

Além da valorização da vida, o governador de São Paulo destacou outros dez eixos fundamentais que devem ser levados em consideração pelo futuro presidente da República em 2023: investimento na educação; recuperação da capacidade econômica para gerar empregos e atrair investimentos; valorização e proteção do meio ambiente; proteção social para os mais vulneráveis; ações preventivas de segurança pública, que evitem, entre outros problemas, a violência contra a mulher; retomada da valorização da cultura, história e memória do país; apoio à ciência e à pesquisa, em todos os níveis no Brasil; incentivos ao esporte; compromisso com a diversidade, com os negros, indígenas, quilombolas e com as minorias; e proteção à liberdade, democracia e aos direitos humanos.

Se você perdeu o debate, assista a íntegra no canal PSDB Brasileiras PSDB-Mulher, no Youtube:

Fonte: Do site do PSDB-Mulher Nacional
Data da Notícia: 15/05/2021

2021-06-05T23:14:26-03:00 15 de maio de 2021|Tags: , , , |

Deixe um Comentário