Finanças rejeita película escura em vidro externo de banco como item de segurança

Crédito da foto: Izys Moreira/ Ascom YC

A Comissão de Finanças e Tributação rejeitou o Projeto de Lei 6857/17, que inclui entre itens de segurança dos bancos a instalação de películas (tipo “fumê”) de controle solar ou adesivos em portas e paredes de vidro voltadas às vias públicas. O texto altera a Lei de Segurança Bancária (7.102/83).

“Acredito que a colocação de qualquer anteparo que tire a visão daqueles que passam pelo lado de fora das agências bancárias acaba trazendo mais e maior insegurança aos clientes”, disse a relatora, deputada Yeda Crusius (PSDB-RS), ao recomendar a rejeição do texto. “Muitas vezes, o fato de não se ver o que acontece no interior das agências pode retardar a ação policial, uma vez que as pessoas poderiam acionar o sistema de segurança pública.”

A proposta, rejeitada antes pela Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, deve ser arquivada, a menos que haja recurso para análise do Plenário. O texto é de autoria do deputado Rômulo Gouveia (PSD-PB), que morreu no último final de semana.

Atualmente, a Lei de Segurança Bancária já prevê, como itens de segurança: vigilantes adequadamente preparados; alarme capaz de permitir comunicação entre o estabelecimento financeiro e outro da mesma instituição, empresa de vigilância ou órgão policial mais próximo; entre outros.

Reportagem – Ralph Machado | Edição – Wilson Silveira
Fonte: Câmara Notícias
Data da Notícia: 18/05/2018

Deixe um Comentário