Yeda destaca a restauração do Palácio Piratini, um feito do seu governo no RS

A deputada também lamentou o incêndio que destruiu o acervo do Museu Nacional no Rio. Foto: Alexssandro Loyola

A deputada Yeda Crusius (RS) destacou as obras de reforma e restauração do Palácio Piratini, sede do governo gaúcho, durante sua gestão como governadora do Estado (2007/2011). A parlamentar lembrou a dificuldade em atender aos requisitos e conceitos exigidos pelos Institutos do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e do Patrimônio Histórico e Artístico Estadual (Iphae), a exemplo da mesma madeira de origem.

Segundo ela, a lembrança surgiu depois de ter visto, pela TV, imagens do incêndio que devastou o acervo do Museu Nacional do Rio de Janeiro. “Eu voltava do interior histórico do Rio Grande do Sul, a partir de seus personagens, prédios, e me deparo com aquela notícia. Muita coisa veio à minha cabeça”, relatou a deputada em Plenário.

Em seu discurso na tribuna da Câmara nesta terça-feira (4), ela lamentou “os 200 anos de história destruídos numa noite triste”. Yeda lembrou a execução do plano de preservação e restauração dos museus no Rio Grande do Sul. “Nós o fizemos e entregamos para mais 50 anos aquele que é o palácio orgulho de todos os gaúchos, assim como outros prédios que foram museus”, disse.

A deputada reiterou que a imensa tragédia que enche a todos de tristeza sirva para dar vazão aos gestores ao sentimento de construir e reconstruir.

O Palácio Piratini começou a ser reformado em 2009, embora o processo tenha sido aberto dois anos antes, já com a comissão responsável para tratar dos detalhes junto ao Iphan e Iphae. A história do Palácio Piratini remonta a outubro de 1896, quando Júlio de Castilhos determinou a sua construção para substituir o antigo Palácio do Barro.

Concluído na década de 70, o Palácio Piratini é suntuoso: os murais e forros dos salões têm pinturas do pintor italiano Aldo Locatelli. Os lustres de cristal dos salões são réplicas dos utilizados no Palácio de Versalhes (França) e as esculturas da fachada principal e posterior da Ala Governamental são do francês Paul Landowski – criador do Cristo Redentor da cidade do Rio de Janeiro.

Em 1986, o Palácio Piratini foi tombado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico do Estado. E, em 2000, integrando o sítio histórico da Praça da Matriz, passou a ter também a proteção do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Reportagem: Ana Maria Mejia
Fonte: Assessoria do PSDB na Câmara
Data da Notícia: 04/09/2018

Veja o discurso completo:

2018-09-05T10:39:53+00:00 4 de setembro de 2018|Tags: , , , , |

Deixe um Comentário