Osmar Terra defende leis mais rígidas e combate às drogas para reduzir violência

Osmar Terra criticou a legalização da maconha. Segundo ele, existe uma epidemia do consumo de drogas no Brasil. Foto: Cleia Viana

Audiência pública sobre o Enfrentamento da Violência no Legislativo e nas Políticas de Estado. Ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra

Osmar Terra criticou a legalização da maconha. Segundo ele, existe uma epidemia do consumo de drogas no Brasil
O ministro Desenvolvimento Social, Osmar Terra, disse nesta quarta-feira (8), em audiência pública na Câmara dos Deputados, que o combate à violência deve ter como foco leis mais rígidas; educação – sobretudo na primeira infância –; e combate às drogas.

“A nossa legislação é horrorosa, leniente e uma das causas do aumento da violência no País”, disse Terra, durante evento promovido pela Frente Parlamentar Mista de Prevenção à Violência, que reúne mais de 250 parlamentares. O ministro citou o caso do ex-goleiro Bruno, que foi preso por ter mandado matar Eliza Samudio. “Ele já foi solto diversas vezes”, observou.

Crítico das drogas e, em especial da legalização da maconha, Terra, que é médico, atribuiu a escalada da violência também a uma epidemia do consumo de drogas no País. “Eu não sei onde a Fiocruz faz suas pesquisas, mas eles insistem em dizer que não há uma epidemia de drogas no Brasil.”

Ministro Osmar Terra. Foto: Cleia Viana

Jovens
Terra disse ainda que historicamente os mais afetados pela violência são os jovens e lamentou que em 2016 o Brasil tenha registrado mais de 61 mil homicídios.

“Para que o combate seja eficiente, é preciso saber definir o tipo de violência que enfrentamos. O comportamento violento não está em toda parte e tem maior incidência em alguns lugares”, finalizou Terra, ao elogiar ações de controle da violência adotadas pela deputada Yeda Crucius (PSDB-RS), quando governou o Rio Grande do Sul. Crucius é a atual coordenadora da Frente Parlamentar Mista de Prevenção à Violência.

Deputada Soraya Santos (PMDB-RJ). Foto: Cleia Viana

Mulheres
A coordenadora da bancada feminina da Câmara, deputada Soraya Santos (PMDB-RJ), trouxe dados sobre a violência praticada contra as mulheres, segundo os quais 1 em cada 5 mulheres já foram espancadas pelo marido e 13 mulheres são vítimas de homicídio no País por dia.

Em relação aos estupros, a deputada defendeu o direito das mulheres de retirarem da internet imagens que exponham sua intimidade. “De que adianta nós colocarmos recursos em programas sociais se não conseguimos impedir que essas imagens circulem na internet?”, criticou.

Para a deputada, uma das principais formas de combater a violência contra a mulher é garantindo seu empoderamento econômico, para lhes garantir autonomia, liberdade e oportunidade.

Apacs
Membro da Comissão Especial Cultura da Paz, o deputado Eros Biondini (Pros-MG) citou como exemplo de sucesso na recuperação de condenados as associações de proteção e assistência aos condenados (Apacs).

Ex-usuário de drogas, o deputado sustentou que apenas 10% dos presos que passam pelas Apacs voltam a cometer crimes, em comparação com cerca de 80% de reincidência no sistema prisional convencional. Biondini sugeriu que a Frente Parlamentar agende uma visita a Apac de São João Del Rey, em Minas Gerais, estado que concentra 39 das cerca de 50 Apacs do País.

Reportagem – Murilo Souza
Edição – Roberto Seabra
Fonte: Câmara Notícias
Data: 08/11/17

Deixe um Comentário