Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil

Foto: Divulgação da Internet

Sr. Presidente, Srs. e Sras. Parlamentares, o mesmo dia 12 de junho em que comemoramos o Dia dos Namorados é usado para combate a uma prática odienta, que persiste em pleno século XXI: o trabalho infantil. Criado em 2002 pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), agência ligada às Organização das Nações Unidas (ONU), com o objetivo de chamar a atenção para as centenas de milhões de crianças no mundo que estão neste exato momento trabalhando, e não estudando ou brincando, como têm direito. No Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, pelo menos nesse dia, é lembrado que esses direitos fundamentais estão sendo desconsiderados.

No Brasil a situação é dramática. A crise econômica vem empurrando ainda mais crianças para o trabalho desde 2013, com aumento dos registros de trabalho infantil entre as faixas de 5 a 9 anos. Dados do IBGE mostram que, em 2015, cerca de 80 mil crianças nessa faixa etária estavam trabalhando em 2015 e, na próxima amostragem, quando estiverem mais velhas, poderão engrossar as estatísticas de adolescentes que trabalham.

Em 2016, tínhamos 1,8 milhão de crianças e adolescentes trabalhando no Brasil. Em 2017, 40.849 mil crianças se acidentaram durante o trabalho, 24.654 delas de forma grave, 267 morreram. Vidas perdidas antes que começassem.

É preciso proteger os pequenos. Não se concebe que o Brasil continue assistindo a esse tipo de escravidão camuflada, que destrói vidas ainda no alvorecer. Peço que esta Casa registre a data de hoje, Dia Mundial do Combate ao Trabalho Infantil e se comprometa de forma enérgica com a meta de erradicação total do trabalho infantil até 2020, já que descumpriu a de 2016. É nosso futuro que está em jogo.

Agradeço a oportunidade de me manifestar e peço que meu registro seja divulgado pelos meios de comunicação desta Casa e pela Voz do Brasil.

Discurso de autoria da parlamentar
Data da Breve Comunicação: 12/06/18

Deixe um Comentário