As experiências da ex-ministra Yeda Crusius

“A economia é um pássaro amarrado que quer voar”. Assim, a deputada federal Yeda Crusius (PSDB-RS), define o momento do Brasil com a autoridade de quem já foi ministra do Planejamento, Orçamento e Coordenação no governo Itamar Franco, em 1993. “A economia está indo em um compasso lento mas firme para voltar a crescer”, afirma. Yeda visita a região. Ela palestrou na noite desta quinta-feira em Nova Veneza sobre a participação da mulher na política para uma platéia de lideranças, políticos e populares.

Ex-governadora do Rio Grande do Sul e deputada em quarto mandato, Yeda percebe o aquecimento da oferta de empregos como outro indicador importante da reação econômica. “Se o emprego está melhorando é que a economia também está, o resultado dos empregos deve ser comemorado”, enfatiza.

Mais mulheres na política

Ao contar sua experiência na palestra, Yeda lembrou que optou pela vida partidária no final dos anos 80, quando nasceu o seu partido, o PSDB. “E o PSDB nasce parlamentarista, como eu sou, e nasce sob o lema de distância das benesses oficiais e proximidade da voz rouca das ruas. Precisamos ouvir essa voz”, analisa.

A deputada mencionou a escassez de mulheres em postos de comando em partidos, sindicatos e na vida política. “Veja um sindicato, quantas mulheres estão lá? E os centros de poder? Na direção da Câmara? Tem uma mulher na mesa, e somos 10% de deputadas. Isso não reflete a realidade da sociedade”, provoca.

Yeda lembrou que sua participação no ministério do presidente Itamar representou um avanço para a época. “Itamar era à frente do seu tempo, colocou duas mulheres no ministério, algo que não acontecia naqueles tempos”, reflete.

Aécio e os tucanos

Para a deputada, o senador Aécio Neves deveria deixar a presidência do PSDB. “Ele devia ter feito isso lá em maio, quando começaram as denúncias na delação da JBS”, comenta. Yeda enaltece a importância da Operação Lava Jato e acredita na veracidade do pedido que Aécio fez à JBS, de R$ 2 milhões. “Alguns até fazem isso, pedem uma bolsa advogado, para quem está na política há muitos processos e é preciso pagar o advogado do próprio bolso”, relata a parlamentar.

De olho no carvão

A deputada gaúcha tem feito parte da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Carvão Mineral. Tanto que na programação na região tem andado acompanhada da deputada Geovânia de Sá (PSDB-SC) e do presidente da Associação Brasileira de Carvão Mineral (ABCM), engenheiro Fernando Zancan.

“Temos que fazer com que o carvão perca essa conotação de agente poluidor. Ele pode ser fonte de renda e com desenvolvimento tecnológico, ele está nesse caminho”, conclui Yeda.

No evento da noite desta quinta Yeda foi prestigiada por prefeitos tucanos da região, como Clésio Salvaro, de Criciúma, e Rogério Frigo, de Nova Veneza.

Por Denis Luciano
Fonte: Portal Engeplus
Data: 20/10/2017

Clique AQUI  e veja mais fotos da palestra.

Deixe um Comentário