Home 2018-04-20T15:03:17+00:00

Últimos Destaques

PSDB-Mulher promove capacitação de pré-candidatas do Nordeste

24 de abril de 2018|

O PSDB-Mulher em parceria com a Fundação Konrad Adenauer (KAS) e o Instituto Teotônio Vilela (ITV), promove em Recife (PE) esta semana, nos dias 26 e 27, o seminário “O papel da mulher na democracia: desafios e oportunidades nas eleições de 2018”. Além de discutir o cenário político-econômico atual, o objetivo do encontro é preparar as pré-candidatas para o período eleitoral que se aproxima.

Yeda Crusius realiza roteiro no Litoral gaúcho

23 de abril de 2018|

A deputada federal Yeda Crusius (PSDB/RS) realizou na sexta-feira (20) um roteiro pelo Litoral gaúcho. A parlamentar fez visitas institucionais, participou de agendas com a imprensa e encontrou-se com lideranças da região, que foi recentemente contemplada com emendas orçamentárias indicadas por Yeda.

Veja todos os destaques

Sua proposta pode virar Projeto de Lei! 
Saiba Mais

“Em todo o mundo, e não é diferente na nossa América Latina, os desafios para conter o ímpeto dos dirigentes que amam guerras requer permanente vigilância.”

Yeda Crusius

Notícias do Mandato

Yeda Crusius apresenta proposta para instituir Plano Nacional de Prevenção à Violência

Crédito da foto: Alexssandro Loyola

Na Câmara Federal, a deputada Yeda Crusius (PSDB/RS) apresentou um Projeto de Lei (PL) de n.º 9322/2017, para institui o Plano Nacional de Prevenção à Violência. “A violência no Brasil constitui um quadro complexo e preocupante. Ao verificarmos as mortes ocasionadas por homicídios ou as mortes derivadas de acidentes de trânsito, o Brasil ocupa posições avançadas entre as nações mais violentas do mundo. Essa proposta é fundamental para que seja organizado um conjunto de metas e indicadores que serão os balizadores da política de prevenção à violência nos próximos anos”, afirma a parlamentar.

De acordo com o texto do projeto, o Plano terá a duração de dez anos e as suas diretrizes e temas serão elaborados por meio de Conferência Nacional a ser realizada no Congresso Nacional. A partir dessas diretrizes gerais, a União deverá elaborar os objetivos, as ações estratégicas, as metas, as prioridades, os indicadores e definir as formas de financiamento e gestão da política de prevenção à violência. As políticas públicas de prevenção à violência deverão considerar um contexto social amplo […]

15 de dezembro de 2017|

Veja todas as notícias

Artigos e Crônicas

Violência infantil no Brasil; outro ranking negativo

Foto: divulgação da internet

Acaba de ser divulgada uma nova pesquisa que mostra o descaso com que as políticas públicas – no que importa para o bem-estar e a dignidade das pessoas – foram tratadas nos últimos anos. Durante 14 anos fomos bombardeados por informações fantasiosas e propagandas ufanistas, como se a realidade se pudesse transformar por um passe de mágica.

A verdadeira ‘fake news’ é a que tenta impor à população uma utopia desmentida a cada ida ao hospital mais próximo, ao caixa do supermercado ou da farmácia, pela bala perdida que abrevia a vida de um parente, e pelos dados do levantamento da organização social Visão Mundial, divulgados no dia 9 de abril, que colocam o Brasil como líder no ranking de violência contra a criança na América Latina.

Essa liderança negativa não vem de graça, nem do dia para a noite, decorre da falta de políticas públicas que protejam a criança e sua mãe. Os índices alertam para a violência doméstica, uma vez que a própria casa foi considerada o segundo maior ambiente de risco, perdendo apenas para espaços públicos.

Três em cada dez brasileiros conhecem uma pequena vítima de violência, 70% dos entrevistados afirmaram sentir que esse tipo de crime vem aumentando nos últimos cinco anos, enquanto 83% acreditam que a violência infantil pode ter impacto na vida adulta. É preciso parar, agora.

São incontáveis as vezes em que denunciei os índices epidêmicos que a violência alcançou no Brasil, somos o sétimo país que mais mata jovens no mundo. Que tipo de futuro estamos construindo, se matamos nossas gerações vindouras, cada vez mais jovens? Essa pesquisa me envergonha profundamente, como mulher, mãe, parlamentar e brasileira.

Basta! É preciso agir. Nenhuma nação que se pretenda digna deste nome pode conviver com o sacrifício e o sofrimento de tantos pequenos. Que o Congresso Nacional assuma papel de destaque na solução desse problema que muitas vezes começa em casa, pelas mãos de quem a criança mais espera amor e segurança.

* Yeda Crusius é presidente Nacional do PSDB-Mulher, deputada federal no quarto mandato pelo Rio Grande do Sul, ex-governadora e ex-ministra do Planejamento.

Data do Artigo: 13/04/18

 

14 de abril de 2018|

Veja todos os artigos e crônicas

Prevenção à Violência

Flickr: Álbum de Fotos

Veja mais fotos

Publicações

Veja mais publicações

Áudios

Veja mais áudios

Receba informações da deputada. Cadastre-se!

Yeda Responde  
Veja mais perguntas e respostas

Paulo A. G de Oliveira, mestre em Economia Política e Economista, natural de Santana do Livramento/RS
Nos últimos anos temos vivenciado o aumento da insegurança e da criminalidade em todo o Estado do Rio Grande. O estado de espírito das pessoas é de total alerta, pois a sensação de impunidade permeia toda a sociedade. No seu entendimento, quais os benefícios efetivos da implementação do Programa de Prevenção da Violência que foi posto em prática no seu governo. O mesmo teria efetividade frente aos altos índices de violência atuais? E porquê?
Yeda Crusius
Claro que sim! Os índices já eram elevadíssimos nos 50 bairros aonde aplicamos o PPV. Um exemplo é Guajuviras em Canoas, o bairro com o maior índice de violência no país. Fiz da Prevenção da Violência uma política de estado e não de secretarias, muito embora todas elas tenham contribuído. Os resultados evidenciaram a queda da criminalidade e da violência durante o nosso governo. Convido você a acessar os gráficos e as publicações a respeito desses resultados aqui no meu portal, em Memórias.
Jonathan Costa Marques, porteiro de Bento Gonçalves/RS
Deputada Yeda, como a senhora vê a situação política de hoje? E o que pensa sobre o futuro da política?
Yeda Crusius
Olá Jonathan! Desde o processo do Mensalão, durante o governo Lula, a transparência na política aumentou imensamente. Muitos foram presos à época (desde 2005), entre políticos e empresários. O mesmo agora com a Operação Lava Jato. Mas falta muito ainda. Alguns grandes têm feito política contra a população: corrupção, déficits que impedem gastos em saúde, educação e segurança, e tudo o mais que a cada dia é mostrado pela mídia. Tem que mudar. E para mudar tem que ser feita a reforma política, em discussão no Congresso Nacional. O povo pode ajudar, exigindo isso. Obrigada!
Maria Lorizete Dalmira, vereadora de Água Santa/ RS
Deputada Yeda Crusius no seu quarto mandato, fez tanto pelo nosso Estado no seu Governo de gestão. O que sugeres para a retomada do nosso Rio Grande?
Yeda Crusius
Querida Vereadora, o nosso Rio Grande precisa mudar na direção de deixar de privilegiar categorias de servidores públicos, melhorar a educação, e incentivar o empreendedorismo. Tem que ter coragem para mudar as coisas que nos trouxeram a essa situação humilhante do Estado não ter como pagar suas contas. Quando consertei as finanças pude pagar todos, inclusive precatórios. Depois fizeram um aumento brutal de benesses para algumas categorias, e retiraram do que mais precisa: saúde, educação e segurança. Vamos torcer para que alguém de coragem faça nos governos o que é preciso. Muitas prefeituras estão dando o exemplo. Abraço!

Faça você também uma pergunta para a deputada! 
Saiba Mais