Home 2018-04-20T15:03:17+00:00

Últimos Destaques

Parlamentares mulheres comemoram decisão ‘histórica’ do TSE sobre fundo

23 de maio de 2018|

"Nosso reconhecimento a todas as pioneiras e guerreiras das lutas pela igualdade! Agora nos cabe replanejar 2018 com esses novos parâmetros!!! Ao trabalho!", disse Yeda Crusius em mensagem as companheiras após decisão de Rosa Weber.

Yeda Crusius pede apoio do presidente do FNDE para liberar compra de ônibus e reforma de creches em municípios gaúchos

23 de maio de 2018|

"Cumpro o meu dever com orgulho, sempre buscando meios para que as nossas cidades sejam foco de recursos federais, especialmente para que os estudantes tenham a oportunidade de vivenciar um ensino moderno e de qualidade”, afirmou a parlamentar.

Yeda comemora decisão do TSE que garante 30% do fundo eleitoral para candidaturas de mulheres

23 de maio de 2018|

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou nesta terça-feira (22) que pelo menos 30% do Fundo Especial de Financiamento de Campanha devem ser gastos em candidaturas de mulheres. Também ficou decidido que 30% do horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão será destinado às candidaturas femininas.

Veja todos os destaques

Sua proposta pode virar Projeto de Lei! 
Saiba Mais

“Em todo o mundo, e não é diferente na nossa América Latina, os desafios para conter o ímpeto dos dirigentes que amam guerras requer permanente vigilância.”

Yeda Crusius

Notícias do Mandato

Yeda Crusius apresenta proposta para instituir Plano Nacional de Prevenção à Violência

Crédito da foto: Alexssandro Loyola

Na Câmara Federal, a deputada Yeda Crusius (PSDB/RS) apresentou um Projeto de Lei (PL) de n.º 9322/2017, para institui o Plano Nacional de Prevenção à Violência. “A violência no Brasil constitui um quadro complexo e preocupante. Ao verificarmos as mortes ocasionadas por homicídios ou as mortes derivadas de acidentes de trânsito, o Brasil ocupa posições avançadas entre as nações mais violentas do mundo. Essa proposta é fundamental para que seja organizado um conjunto de metas e indicadores que serão os balizadores da política de prevenção à violência nos próximos anos”, afirma a parlamentar.

De acordo com o texto do projeto, o Plano terá a duração de dez anos e as suas diretrizes e temas serão elaborados por meio de Conferência Nacional a ser realizada no Congresso Nacional. A partir dessas diretrizes gerais, a União deverá elaborar os objetivos, as ações estratégicas, as metas, as prioridades, os indicadores e definir as formas de financiamento e gestão da política de prevenção à violência. As políticas públicas de prevenção à violência deverão considerar um contexto social amplo […]

15 de dezembro de 2017|

Veja todas as notícias

Artigos e Crônicas

Maio Amarelo, pare nesse sinal

Foto: divulgação da internet

A campanha Maio Amarelo tem por objetivo chamar atenção para o alto índice de mortalidade no trânsito, além de conscientizar os motoristas para sua responsabilidade na diminuição dos acidentes. Esse movimento surgiu a partir de um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS), datado de 2009, que contabilizou perto de 1,3 milhão de mortes por acidentes de trânsito em 178 países.

Baseada nesses dados, a Organização das Nações Unidas (ONU) determinou que o período de 2011 a 2020 seria a Década de Ações Para Segurança no Trânsito. Entretanto, mais de 1,2 milhão de pessoas ainda perdem a vida no trânsito a cada ano em todo o planeta, outras 40 milhões ficam feridas. O Brasil é o quarto país com mais mortes no trânsito nas Américas, e se continuarmos assim não cumpriremos a meta estabelecida da ONU, de reduzir pela metade o número de acidentes até 2020.

Em 2017 o trânsito matou 47 mil pessoas, enquanto 400 mil ficaram com alguma sequela. O custo dessa tragédia para o Brasil é de R$ 56 bilhões – segundo o Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV) –, verba suficiente para construir 28 mil escolas, ou 1.800 hospitais, sem falar no desperdício de vidas, incalculável. Os óbitos aumentaram, de 19 para 23,4 em cada 100 mil habitantes, entre 2009 e 2016, mas a experiência de outros países mostra que é possível reverter essa tendência. Os Estados Unidos, por exemplo, reduziram em 20% seus acidentes de trânsito nos últimos dez anos. Com uma população cerca de 70% maior do que a nossa, alcançaram um índice de mortalidade no trânsito de 30 mil pessoas por ano.

Yeda Crusius. Foto: Izys Moreira/ Ascom YC

A Câmara dos Deputados tem buscado fazer seu trabalho para atacar esse gigantesco problema, como quando aprovou em 2017 o PL 5568/2013, de autoria da deputada Keiko Ota. O projeto aumenta as penas para quem, dirigindo embriagado, causa acidentes. Vemos repetidamente no noticiário que até os mesmos motoristas que já cometeram crimes de trânsito como homicídio doloso anteriormente continuavam livres, não raro praticando os mesmos delitos.

Já no caso da prevenção, vários casos de sucesso nesse enfrentamento têm sido registrados, conduzidos por organizações sociais como o “Vida Urgente” da Fundação Thiago de Moraes Gonzaga, criado pela Diza Gonzaga no Rio Grande do Sul, que busca conscientizar os jovens em suas baladas noturnas para não dirigirem depois de beber. A campanha pela Diza lançada, o “Balada Segura”, já é lei e já é acompanhada por várias instituições que a levam para muitos outros municípios. Nesse contexto, homenageio todos os voluntários dessa honrosa causa. Peço a todos que se comprometam com as ações do Maio Amarelo, de forma a contribuir para o sucesso da empreitada.

* Yeda Crusius é presidente Nacional do PSDB-Mulher, deputada federal no quarto mandato pelo […]

14 de maio de 2018|

Veja todos os artigos e crônicas

Prevenção à Violência

Flickr: Álbum de Fotos

Veja mais fotos

Publicações

Veja mais publicações

Áudios

Veja mais áudios

Receba informações da deputada. Cadastre-se!

Yeda Responde  
Veja mais perguntas e respostas

Paulo A. G de Oliveira, mestre em Economia Política e Economista, natural de Santana do Livramento/RS
Nos últimos anos temos vivenciado o aumento da insegurança e da criminalidade em todo o Estado do Rio Grande. O estado de espírito das pessoas é de total alerta, pois a sensação de impunidade permeia toda a sociedade. No seu entendimento, quais os benefícios efetivos da implementação do Programa de Prevenção da Violência que foi posto em prática no seu governo. O mesmo teria efetividade frente aos altos índices de violência atuais? E porquê?
Yeda Crusius
Claro que sim! Os índices já eram elevadíssimos nos 50 bairros aonde aplicamos o PPV. Um exemplo é Guajuviras em Canoas, o bairro com o maior índice de violência no país. Fiz da Prevenção da Violência uma política de estado e não de secretarias, muito embora todas elas tenham contribuído. Os resultados evidenciaram a queda da criminalidade e da violência durante o nosso governo. Convido você a acessar os gráficos e as publicações a respeito desses resultados aqui no meu portal, em Memórias.
Jonathan Costa Marques, porteiro de Bento Gonçalves/RS
Deputada Yeda, como a senhora vê a situação política de hoje? E o que pensa sobre o futuro da política?
Yeda Crusius
Olá Jonathan! Desde o processo do Mensalão, durante o governo Lula, a transparência na política aumentou imensamente. Muitos foram presos à época (desde 2005), entre políticos e empresários. O mesmo agora com a Operação Lava Jato. Mas falta muito ainda. Alguns grandes têm feito política contra a população: corrupção, déficits que impedem gastos em saúde, educação e segurança, e tudo o mais que a cada dia é mostrado pela mídia. Tem que mudar. E para mudar tem que ser feita a reforma política, em discussão no Congresso Nacional. O povo pode ajudar, exigindo isso. Obrigada!
Maria Lorizete Dalmira, vereadora de Água Santa/ RS
Deputada Yeda Crusius no seu quarto mandato, fez tanto pelo nosso Estado no seu Governo de gestão. O que sugeres para a retomada do nosso Rio Grande?
Yeda Crusius
Querida Vereadora, o nosso Rio Grande precisa mudar na direção de deixar de privilegiar categorias de servidores públicos, melhorar a educação, e incentivar o empreendedorismo. Tem que ter coragem para mudar as coisas que nos trouxeram a essa situação humilhante do Estado não ter como pagar suas contas. Quando consertei as finanças pude pagar todos, inclusive precatórios. Depois fizeram um aumento brutal de benesses para algumas categorias, e retiraram do que mais precisa: saúde, educação e segurança. Vamos torcer para que alguém de coragem faça nos governos o que é preciso. Muitas prefeituras estão dando o exemplo. Abraço!

Faça você também uma pergunta para a deputada! 
Saiba Mais